03/03/2009

ANTÓNIO CELSO

Foto de Francisco Fadista - Olhares



FUI EU


No sonho em que passeio,
Em que vagueio errante, tristemente,
O meu anjo não veio;
Não veio como vinha antigamente.


Bastava que parasse à beira do caminho
E erguesse o rosto ao céu iluminado,
Não ficava sozinho.
O anjo colocava-se a meu lado.


Eu tinha então a força dos que podem
Mover montanhas e afastar as águas
Para poder passar.
Porém, agora, os sonhos que me acodem
São lágrimas de dor, fontes de mágoas...
E faltam forças para caminhar.


Jornadeei por vastos horizontes,
Bebi em tantos rios, tantas fontes,
E nunca me faltaste, guardador!


Que há entre nós então? Que aconteceu?


Se é certo que és um anjo do Senhor,
És imutável, vigilante e puro;
Sempre apontaste a senda do Futuro;
Tu não mudaste. Quem mudou fui eu!

António Celso (Asas Cinzentas)


1 comentário:

Luso disse...

Já é oficial e definitivo:
CDU - Penetra/Luis Beguino
PS - Vicente Mauiricio/Arlindo Chanfana
PSD - Mario Simões/Acácio de Oliveira

Até que enfim, não é?

Seguidores

Arquivo do blogue