03/08/2006

Caixa do Correio





CAIXA DO CORREIO


Olho pr`a ti
Que saudade!...

A nossa bela estação
Era a tua morada,
Recebendo as missivas
Da «moça enamorada».

Mas nem só o amor
Tu deixavas chegar,
A saudade e a tristeza
Também lá iam entrar.

Lágrimas de muita mãe
Escritas em letras puras,
Segredavam-te ao ouvido
Quanto a vida era dura.

Passaste por muita mão
Para atingir o teu fito,
Mas foste mais acarinhada
P`las mãos do sr. Quinito.

Por ti passaram anos
Quantos não sei contar,
Mas a nova tecnologia
Ocupou o teu lugar.

O correio em ti entrou,
O dos outros e o meu,
P`la tua linda idade
Hoje és peça de Museu.

Deves sentir-te orgulhosa
Por seres recompensada,
«MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES»
A tua nova morada.




Olinda Bonito – 07/06

4 comentários:

Paulo Sempre disse...

«O carteiro toca sempre duas vezes»..Bom filme!!!
Pausada de Alvito toca-nos logo na primeira entrada, né?

Abraço
Paulo

TMara disse...

a aotora do poema e tu, meu amigo, k me desculpem, mas fiquei apaixonaga pela foto.
Bj. luz epaz

TMara disse...

Gralha: autora

Jofre Alves disse...

Bom fim-de-semana, expresso neste blogue agradável e amigo.

Seguidores

Arquivo do blogue