28/08/2007

VER-TE...




Ver-te é como ter á minha frente todo o tempo
é tudo serem para mim estradas largas
estradas onde passa o sol poente
é o tempo parar e eu próprio duvidar mas sem pensar
se o tempo existe se existiu alguma vez
e nem mesmo meço a devastação do meu passado

RUY BELO


Foto de Manuel Dinis Cortes

3 comentários:

alvitrando disse...

O texto do poema cndiz com a planície alentejana (na foto).

O Chaparro disse...

passei p deixar um abraço e desejar bom resto d semana

Menina_marota disse...

Bela imagem!

"é o tempo parar e eu próprio duvidar mas sem pensar
se o tempo existe se existiu alguma vez"

Bj ;)

Seguidores

Arquivo do blogue